Review de hotéis que escolhemos na Itália

Nossa última viagem a Itália foi uma experiência incrível em todos os sentidos, mas deu um trabalhão para planejar. Um dos momentos que mais nos tomou tempo foi a escolha dos hotéis. Com o euro nas alturas, precisávamos escolher com cautela algo que tivesse um bom custo-benefício.

Por isso resolvi fazer esse breve review para dar uma mãozinha aos viajantes que também estão nesse dilema. Seguem então as nossas escolhas de hotéis em Roma, Florença, Milão e Veneza.

O nosso ponto de partida foi a localização, afinal estar no centro histórico dessas cidades é ter a oportunidade de visitar os principais pontos turísticos a pé, facilitando a vida e economizando em transporte.

ROMA

Hotel: Damaso Hotel.

Localização: super bem localizado, ao lado do Campo di Fiori e a 5 minutos do Pantheon.

Atendimento: Toda a equipe foi extremamente simpática. Gostamos muito do atendimento desde da recepção e dos atendentes do café da manhã.

Limpeza: impecável.

Conforto: quarto com tamanho bom e cama super confortável.

Chuveiro: deixou a desejar. Não tinha muita pressão e isso é algo que me incomoda.

Café da manhã: excelente, com muitas opções saudáveis, além de pães, geléias, queijos salames, iogurtes, enfim… opções para todos os gostos.

Custo: Por 4 noites pagamos 530 euros.

FLORENÇA

Hotel: Mabelle Residenza Gambrinus 

Localização: super bem localizado, na Piazza Della Reppublicca

Atendimento: Não é um hotel, são apartamentos locados para turistas. O atendimento é super simpático e bem informal. Não existe uma recepção com atendentes e o primeiro lance de escadas você precisa subir a pé para aí encontrar o elevador e acessar os apartamentos.

Limpeza: impecável.

Conforto: quarto com tamanho bom e cama super confortável.

Chuveiro: muito bom.

Café da manhã: não está incluso

Custo: Por 2 noites pagamos 1.720 reais.

MILÃO

Hotel: Serendipity Rooms

Localização: super bem localizado, a 5 minutos do Duomo de Milão

Atendimento: Não é um hotel, são dois edifícios inteiros com apartamentos para locação turística. Fomos muito bem recepcionados! A atendente nos levou até o quarto e explicou cada detalhe. Recebemos um prosecco de boas-vindas.

Limpeza: impecável.

Conforto: quarto lindo, com uma decoração super moderna, muito confortável e agradável.

Chuveiro: o chuveiro é um detalhe à parte, mas muito bom. O box é a própria parede para o quarto, ou seja, tudo é integrado e visível. :O Além disso, tem luzes coloridas para cromoterapia.

Café da manhã: não está incluso

Custo: Por 2 noites pagamos 238 euros.

VENEZA

Hotel: My Place San Marco Apartments

Localização: bem localizado, a 10 minutos da Piazza San Marco

Atendimento: Não é um hotel, apartamentos para locação turística. Fomos muito bem recepcionados! A atendente nos recebeu em frente ao local, nos explicou todos os detalhes e ainda deu dicas preciosíssimas de restaurantes e bares que fizeram a diferença na nossa viagem.

Limpeza: perfeita. O porém é que eles não oferecem serviço de limpeza diária.

Conforto: extremamente confortável. Espaço amplo, com cozinha equipada, dois banheiros, máquina de lavar com sabão em pó disponível e até varal. Tem a disposição maquinas de café e cápsulas.

Chuveiro: excelente.

Café da manhã: não está incluso

Custo: Por 4 noites pagamos 806 euros.

 

Roteiro de um dia por Pisa e Lucca na Itália

Nesse texto você vai conferir nosso roteiro por Pisa, a cidade de Galileu e Lucca, a cidade das Cem Igrejas. Um bate-volta partindo de florença.

Estamos fazendo uma série de textos e vídeos sobre nosso roteiro pela Itália. Já liberamos o roteiro de Roma, (confira o vídeo aqui e o texto aqui) e Florença (confira o vídeo aqui e o texto aqui)

Na nossa viagem pela Toscana decidimos conhecer em um único dia Pisa e Lucca. São cidades pequenas, mas nem por isso menos encantadoras. A nossa base é Florença e de trem da capital até pisa, são 1h15 de viagem.

Os trens da Trenitália saem de hora em hora da Estação Santa Maria Novella e o bilhete com hora marcada custa em torno de 8 euros comprando antecipadamente pelo site. Nós deixaremos para comprar lá, porque como é trem regional não tem necessidade de comprar com antecedência, já que não tem cadeiras marcadas e nem a possibilidade de lotar o trem.

PISA

Existem duas estações em pisa: a San Rossore, mais próxima a Torre de Pisa e a estação Pisa Centrale. Optamos pela Pisa Centrale, porque descendo lá, já conheceremos o centro da cidade até chegar na Torre de Pisa e depois utilizaremos a San Rossore, mais próxima, para seguir viagem até Lucca.

Vamos subir pela Corso Italia, a principal rua comercial de Pisa, super movimentada, repleta de restaurantes e lojas. Chegaremos na Piazza Dei Cavalieri, onde tem o Palazzo Della Carovana, construção do século XVI e antigo quartel da Ordem dos Cavaleiros de Santo Estevão, e o Palazzo Dell’Orologio, que foi citado na Divina Comédia de Dante Alighieri.

Em seguida, partiremos para conhecer a famosa Piazza Dei Miracole, onde estão a Torre de Pisa, o Duomo, o Camposanto e o Batistério, principais e mais visitadas construções da cidade.

Além de tirar aquela foto suuuper criativa lá embaixo, se você quiser subir na Torre, o ingresso fura fila custa 24 euros, é com hora marcada e o link para compra vou deixar AQUI

Esse ingresso também dá direito a entrar na Catedral sem fila. Mas se você quiser entrar apenas na Catedral, não precisa pagar nada, você apenas terá que retirar o passe gratuito na bilheteria da igreja.

Esse será nosso passeio por Pisa. Claro, que no vlog, mostraremos tudo em detalhes para vocês, inclusive as descobertas e surpresas que sempre aparecem em cada viagem.

Depois disso pegaremos um trem da Estação San Rossore até Lucca.

LUCCA

O trem regional sai de meia em meia hora e o ingresso custa cerca de 4 euros. A viagem direta até Lucca demora uns 30 minutinhos.

Chegaremos em Lucca no início da tarde e o primeiro local que veremos será a Muralha de mais de 400 anos que circunda toda a cidade. entraremos pela porta de san pietro./ dos seis acessos, a porta de sao pedro é a mais impressionante e elaborada e é também a mais próxima da estação de trem da cidade.

O apelido de Lucca é a cidade das cem igrejas, de tantas construções religiosas que existem por lá. Então, é claro, veremos muitas igrejas, a começar pelo Duomo Di San Martino, ou a Catedral de Lucca, que tem guardado lá dentro um crucifixo de madeira com a imagem de Cristo, que teria sido esculpido por um dos primeiros seguidores de Jesus.

Caminhando um pouco mais, chegaremos a Chiesa Di San Giovanni e Reparata, construída no século IV como uma Catedral de Lucca.

Outra igreja que vamos conhecer será a San Michelle in Foro, uma enorme basílica construída sobre um Fórum Romano, bem no centro de Lucca. No alto, a escultura de São Miguel derrotando um dragão.

Dali vamos subir a Via Fillungo, a rua mais movimentada de Lucca, repleta de bares, cafés e lojinhas e vamos até a Piazza Della Anfiteatro, que como o nome já diz, era um anfiteatro tipo o Coliseu, só que claro, bem menor.

E para finalizar nosso roteiro em Lucca, subiremos na Torre Guinigi, de onde se tem a vista mais incrível da cidade. É a única torre da época renascentista que ainda resisti em Lucca. Lá em cima tem um jardim. É muito lindo mesmo. O ingresso custa 4 euros e você pode comprar no local.

Esse é o nosso roteiro de um dia para Pisa e Lucca, mas existe também um opção de tour guiado para essas duas cidades, saindo de Florença. Custa 58 euros. A companhia te pega no hotel, você não se preocupa com o transporte, nem roteiro e ainda vai recebendo muitas explicações pelo caminho. Clique aqui para comprar o passeio. 

Lembrando que ainda vamos conhecer mais um pouco da Toscana com direito a Siena e muitos vinhedos, inclusive Montalcino e depois seguiremos para Milão, Verona e Veneza. Os roteiros, claro, vamos dividir com vocês atendendo aos muitos pedidos sempre.

Para conferir o vídeo do roteiro de Pisa e Lucca, com imagens dos locais que visitaremos, é só clicar aqui.

Aliás, se tiver alguma dica da Itália, escreva aqui embaixo, vamos adorar saber, com a chance de incluir no roteiro aquelas mensagens que vierem antes de 10 de Agosto de 2018.

Um beijão e até o próximo roteiro, que será sobre Siena, Montalcino e várias outras regiões lindas da Toscana.

Roteiro de dois dias em Florença na Itália

No último post revelei o roteiro de Roma, clique aqui se ainda não viu.

Agora é hora de deixar Roma em direção a Florença. Vamos de trem! Pagamos 49 euros para duas passagens e uma dica importante, quanto mais cedo você compra, mais barato vai sair. Depois de muita pesquisa, optei pela Trenitália.

Comprando no site italiano você economiza uma graninha boa, porque não tem taxas nem encargos no final.

São 1h30 de viagem da estação Roma Termini até o Terminal  Santa Maria Novella, que fica bem no centro de Florença. Do terminal ao nosso hotel são 11 minutos de caminhada. Se estivermos muito cansados, devemos pegar um táxi na hora.

Aliás, Florença não tem metrô, apenas ônibus, trem e tram.

Os bilhetes podem ser comprados dentro da estação, sendo que pra ônibus você pode deixar para comprar dentro, só vai sair um pouquinho mais caro. E é preciso validar o bilhete no leitor que fica dentro dos coletivos. Nesse link é possível pesquisar linhas e valores. 

Sobre o hotel, em Florença também optamos pelo centro histórico. Vamos ficar no hotel Mabelle Gambrinus, de frente para a Piazza Della Repubblica. Na hora de pesquisar a hospedagem, gosto sempre de ver avaliações e depoimentos de outros hóspedes no Tripadvisor. Dá uma ótima noção do local.

Como chegaremos perto do meio dia, vamos dar uma passadinha na Piazza Della Repubblica e depois já vamos direto para a Piazza della Signoria, considerada a principal praça de Firenze, repleta de estátuas, inclusive a réplica de Davi de Michelangelo. É ali também que fica o famoso Palazzo Vecchio, hoje sede da Prefeitura.

Lá dentro tem um museu com obras de Michelangelo, Vasari e outros artistas Renascentistas. O ingresso custa 19 euros e é com hora marcada. Clique aqui para comprar. 

Aliás, a ideia inicial já era fazer Palazzo Vecchio e Galleria della Ufizzi nesse mesmo dia, porque ficam super próximos, mas os horários não estavam batendo, então deixamos Ufizzi para outro dia.

Assim que sairmos do Pallazzo Vecchio, iremos em direção às margens do rio Arno, onde a cidade começou a se desenvolver, para ver a famosíssima Ponte Vecchio, a mais antiga da cidade e um dos pontos turísticos mais importantes e visitados. No caminho vamos passar pelo Clube de Remo, que tem uma vista linda da ponte, sendo que nos arredores existem várias ruelinhas muito lindas, estilo medieval e bem conservadas, ótimas para tirar fotos.

Vamos passar por baixo do Corredor Vassariano, utilizado pela família Médici para ir com mais discrição do Palazzo Vecchio, onde trabalhavam ao Palazzo Pitti, onde moravam. Em seguida, atravessaremos a ponte em direção ao Palazzo Pitti, o maior palácio da cidade e que, como disse, foi residência dos Médici e de várias outras famílias que também governaram florença. O bilhete para o Pallazzo Pitti custa 19 euros comprando online.

Além do Palazzo Pitti, tem ainda os Jardins de Boboli, que eram os jardins do palácio e são deslumbrantes, cheios de verde e muitas obras de arte. A entrada também é com horário marcado e o bilhete custa 17 euros, vou deixar o link também. 

Ah,  se você preferir tours com guias, pode comprar também nesse link.

E para terminar o dia vamos subir até a Piazzale Michelangelo, de onde se tem uma vista incrível da cidade, depois encontrar um lugar para jantar e voltar para o hotel.

Dia 2

Dia de conhecer uma das obras mais impressionantes já construídas até hoje: a Catedral de Santa Maria del Fiore ou o Duomo de Florença. E sabe aquela cúpula incrível projetada pelo gênio Bruneleschi, vamos mostrar detalhes para vocês no vlog porque vamos subir lá no alto. Aliás, nesse dia teremos que ter muito fôlego, porque queremos subir no Campanário de Giotto também que é a torre do sino anexa à Catedral. O bilhete para visitar cúpula, campanário, o Batistério de San Giovanni, cripta e museu é único e custa 18 euros. Nós compramos antecipadamente aqui.

Lembrando que para conhecer apenas a catedral a entrada é gratuita.

Logo depois, no início da tarde, temos horário marcado na Galeria della Uffizzi, um dos mais famosos e antigos museus do mundo, com obras como o Nascimento de Venus, de Boticcelli. Pagamos 20 euros no ingresso e o link para compra está aqui.

Um detalhe sobre os ingressos: comprando pela internet, antecipadamente, sempre vai sair um pouco mais caro pela conveniência. Mas com eles você pula fila e ganha muito tempo, já que as filas para comprar ingresso na hora sempre são gigantescas. Com isso, você tem que organizar muito bem seu roteiro, porque sempre são com hora marcada e se você não sabe se vai conseguir estar no local, exatamente no horário, aí é melhor deixar para comprar no dia mesmo. 🙂

Depois da Uffizzi, vamos dar uma caminhada pelas ruas de Firenze, tomar um café da tarde e então seguir para a Basílica de Santa Croce, onde estão sepultados Michelangelo, Galileu, Maquiavel…  o ingresso custa 9 euros e também é com hora marcada. Compre direto no site oficial.
E por falar em hora marcada, no fim do dia temos horário na Galeria della Academia, onde está o Davi de Michelangelo original. O bilhete custou 16 euros. Compre aqui. 

À noite vamos, enfim, conhecer o Mercado Centrale, onde tem várias comidinhas típicas e gostosas. Queremos ainda dar uma passadinha na frente da basílica de San Lorenço, local da primeira catedral de Florença, igreja dos Medici e onde está sepultado Donatello. O bilhete custa 8,50 euros e o link para comprar é esse aqui

E gente, eu pesquisei muito sobre onde comprar os bilhetes com segurança e economia, então todos os links que estou deixando para vocês também foram utilizados por nós, para nossas compras.

No próximo post  vou repassar nosso roteiro de Pisa e Lucca. Lembrando que na nossa viagem a Itália vamos ainda conhecer Siena e vários outros cantinhos da Toscana, Milão, Verona e Veneza. 

Ah, lembrei de outro detalhe que vocês me perguntam muito: plano de internet. Sempre saio com meu pacote de internet ilimitada aqui do Brasil. Compro na Easysim4u. Eles entregam na sua casa antes da viagem.

E tem  outra dica meeeega importante, que lembrei agora porque acabamos de contratar: o seguro viagem, que é obrigatório na Europa. E mesmo que não seja obrigatório é sempre importantíssimo ter. Então, segue o link da empresa de seguros do meu amigo, Rodrigo, que vai fazer aquele precinho mais do que especial para vocês. É só falar que vocês vieram aqui do blog pra ganhar 10% de desconto, olha que demais. Esse é o site da RGomes Corretora de Seguros e esse é o whatsapp para mais informações e orçamento:   47 99198-6618

Bom, espero que tenham curtido nosso roteiro de dois dias em Florença e se tiverem mais dicas e sugestões é só deixar nos comentários. Vou adorar!!!

 

 

 

Roteiro de 4 dias em Roma na Itália

Oi, oi, oi gente linda!

Vocês me perguntam muuuito sobre como organizo meus roteiros, então quero aproveitar nossa viagem a Itália para liberar o roteiro detalhado de tudo o que vamos fazer por lá.

As cidades escolhidas são Roma, Florença e outras cidades da Toscana, Milão e Veneza.

A nossa primeira parada será Roma, onde teremos 4 dias para aproveitar.

DIA 1

Vamos sair de São Paulo à noite e chegar em Roma por volta do meio-dia. Serão 12 horas de viagem, lembrando que são 5 horas de diferença a mais em relação ao Brasil.

Até chegar, passar pela Imigração, pegar as malas e tudo mais devemos chegar ao hotel perto das 4h da tarde.

Do Aeroporto Leonardo da Vinci, também conhecido como Fiumicino, a 30km de Roma, você tem várias opções para chegar ao centro histórico. Trem, transfer, ônibus ou taxi. 
Trem

Tem o trem expresso, Leonardo Express, super pontual e que leva 30 minutos até a Estação Central Roma Termini.

E o trem regional, que pode levar até 50 minutos, você precisa fazer baldeação, vive lotado e constantemente sofre com atrasos.

A diferença, claro, também está no preço: o expresso custa 14 euros, o regional 8 euros.

O bilhete pode ser comprado online, pelo site oficial da Trenitalia, que é a companhia que vamos usar em toda a viagem, ou então direto no guichê da cia no próprio aeroporto.

O problema de comprar online é que precisa ser com hora marcada e em se tratando de vôos internacionais, nunca sabemos se vai atrasar ou não. Então, acho mais seguro comprar no local mesmo.
Ônibus

É o meio mais barato. Varia de 5 a 6 euros, dependendo da operadora.

A TAM, que não é a mesma que a nossa, eu sei que você pode comprar o bilhete online. E mesmo que tenha horário definido, você chega e pega o primeiro ônibus que sair. Mais informações você consegue no site. A viagem dura cerca de uma hora.

Transfer

Vai do aeroporto até a porta do seu hotel. Pode ser transfer particular (preço vai de 45 a 80 euros por grupo) ou o transfer compartilhado (preço médio de 16 euros por pessoa). É só clicar nas opções desejadas que você já vai direto pro site do GetYourGuide, que é onde faço minhas compras antecipadas para reserva de transporte, entradas em atrações e passeios guiados. 

Táxi

O valor da corrida até o centro de Roma – dentro dos Muros Aurelianos – começa em 45 euros e vai aumentando dependendo do número de malas e pessoas. 

 

E chegou a hora de falar da hospedagem.

Nós optamos pelo centro histórico, para ficar mais próximo das atrações turísticas. É um pouco mais caro, mas vale a comodidade.

Vamos ficar no Hotel Damaso, indicação de um amigo do Luiz, que gostou muito de tudo: café da manhã, limpeza, atendimento e localização – fica a 3 minutos a pé da Piazza Navona.

E dia de chegada é dia de conhecer os arredores do hotel, ficar mais light, flanar pela cidade… e é isso que vamos fazer nesse dia.

Vamos começar pela Piazza Navona, Piazza Della Rotonda, Panteon e vamos ir até a Fontana di Trevi para vê-la à noite. Mas como sabemos que vive lotaaaada, antes de ir embora de Roma pretendemos acordar cedinho um dia e correr pra lá de novo. Só assim pra pegá-la vazia.

Aí pra terminar a noite vamos escolher um restaurante, já vi vários bem legais ali perto, comer e voltar capotar no hotel.

DIA 2

Vamos direto ao Coliseu, mas antes, como é caminho, vamos conhecer o Altare Della Patria, monumento em homenagem a Vittorio Emanuel, primeiro Rei da Itália e considerado o Pai da Pátria. E também passar ao lado no Monte Capitolino, uma das sete colinas da cidade, onde Roma começou a ser construída e onde moravam os imperadores.

Mas vamos bem cedinho, porque às 8h30 abrem-se as portas do Coliseu.

E uma informação importante:  o ingresso do Coliseu vale também para o Monte Palatino e Fórum Romano.

O bilhete é válido por dois dias a partir do primeiro uso.

Você pode comprar os bilhetes pela internet, evitando filas. Custa 16 euros – 12 do bilhete, mais 4 da reserva.

Nós compramos do site do Rome Museum, que tem tradução em português. O comprovante vem no seu email, é só imprimir e apresentar lá na entrada sem pegar a enorme fila para comprar no local.

Com esse ingresso você terá direito a visitar a arena, no segundo anel, mais a exposição permanente no primeiro piso.

Mas você também pode encontrar bilhetes no site do GetYourGuide, inclusive com a opção de visita guiada. Os preços mudam, claro.

Uma dica preciosa é começar pelo final, ou seja, ao invés de já entrar no Coliseu, ponto de partida pensado pela maioria dos turistas, comece pelo Fórum Romano. A fila no Coliseu é o dia inteiro, mas pelo menos começando pelo final, você pode conseguir um pouco mais de tranquilidade em parte da visita.

O Coliseu abre todos os dias das 8h30 até uma hora antes do pôr do sol, ou seja, de Novembro a Março até 15h30 e de Abril a Outubro até 17h30.

Pesquise também sobre o Roma Pass e veja se vale a pena para você. Existe o Roma Pass 72h, que te dá direito a duas atrações gratuitas e o Roma Pass 48h, que te dá direito a uma atração gratuita. Com o cartão você usa o transporte público de Roma de forma ilimitada, menos o trajeto até o aeroporto.

Bom, no segundo dia será isso O que já é muita coisa, porque nessa região tem muito para ser visto. E atenção! Nesses monumentos, não há lanchonetes. Portanto, leve um lanchinho e garrafa de água, que poderá ser reabastecida nas fontes do Palatino.

DIA 3

Vamos ao vaticano!

Detalhes importantes: quer ver o Papa, reserve domingo ou quarta-feira, quando ele faz a Audiência Papal na Praça de São Pedro. Mas vá preparado, porque tudo lota e lota muito.

Aliás, para evitar a multidão chegue cedo, muito cedo.

Se tiver mais dias em Roma, uma dica que pode valer a pena é dividir a visita ao Vaticano em dois dias. Assim, chegando cedo,  num dia você pega Basílica e Praça de São Pedro vazias e no outro os Museus e Capela Sistina também vazios.

Nós vamos fazer tudo no mesmo dia. Aliás já compramos nossos ingressos para os Museus e Capela Sistina para o início da tarde. Dica importante: comprando seu ingresso antecipadamente (pelo site oficial é mais barato) você fura fila para Museus e Capela Sistina. O ingresso é um só.

Cada ingresso custa 17 euros + 4 euros pela conveniência do online. O voucher vem no seu email. Você escolhe o mês, quantidade de pessoas, dia e horário. Ingressos individuais e intransferíveis. No dia é só passar a fila toda e ir direto para a entrada no seu horário.

Aliás, outra dica importante: compre com pelo menos dois meses de antecedência para não correr o risco de não encontrar dia e hora que você planejava. Nós deixamos para comprar em cima da hora e tivemos que adaptar o roteiro, porque não tinha mais a data que queríamos.

Não é permitida a entrada com decotes, ombros e joelhos de fora. Vale para homens e mulheres.

O Vaticano abre de segunda-feira a domingo, das 07h até o pôr do sol.

Na volta do Vaticano vamos para o Castelo Sant’Angelo, construído no ano de 139  pelo Imperador Adriano, e claro encontrar aquele restaurante bacana para terminar à noite.

DIA 4

Esse é mais um dia de acordar suuuuper cedo para pegar a Fontana di Trevi vazia. Às 6h da manhã já estaremos lá. Exagero? Não sei!

Depois é hora de conhecer a Piazza di Spagna, uma das mais concorridas de Roma e Piazza del Popollo, uma das maiores praças do centro histórico.

Em seguida tem a Villa Borghese, Palácio no Monte Pinciano ou Pincio, dentro do segundo maior parque de Roma, os Jardins da Villa Borghese. No interior do palácio está a Galleria Borghese, um museu com obras de Caravaggio, Bernini, Botticelli e outros.

O ingresso custa 22 euros no site do GetYourGuide, mas deve ser comprado com bastante antecedência. A galleria é fechada às segundas-feiras, assim como a maioria dos museus de Roma, menos o coliseu.

Queremos ainda conhecer as Termas de Caracalla, que era um dos maiores complexos de banhos públicos de Roma e segue muito bem conservado.

E acabou, gente!

Veja também o post do roteiro em Florença, que será a próxima parada.

Lembrando que depois de Agosto de 2018 tudo estará registrado nos vlogs da Itália, então não deixe de acompanhar como foi a nossa experiência lá no canal do YouTube.

Você também já pode acompanhar em tempo real todas as nossas postagens e dicas pelo Instagram, tanto no MEU quanto no do LUIZ

Espero que tenha curtido a postagem e se quiser deixar mais sugestões de postagens é só escrever nos comentários.

Ah, uma última dica super importante: em todas as minhas viagens eu uso o chip de internet ilimitada da EASYSIM4U. E não será diferente na Itália. Amo demais e super recomendo. Se vai viajar e quiser o seu também é só clicar aqui.

Roteiro de um dia em Londres

Claro que Londres é uma cidade que merece ser explorada e aproveitada com toda a calma do mundo, mas sim, nós já tivemos a audácia de passar apenas um dia em Londres partindo de Eurostar de Paris. Essa trip está registrada em vídeo aqui.

Logo depois, fui sozinha à Terra da Rainha para passar mais dias por lá e assim descobri o que realmente é imperdível na cidade. Sendo assim, resumo nesse post o roteiro de apenas um dia só com o supra sumo da capital inglesa.

UM DIA EM LONDRES – o que fazer?

mapa_roteiro_londres_em_um_dia
Roteiro para um dia em Londres – Clique para ampliar

(1) Sky Garden

Comece o dia com um cafezão da manhã no Sky Pod Bar, no Sky Garden, com uma das vistas mais alucinantes de Londres. Veja o vlog! O lugar é todo envidraçado, repleto de muito verde e fica no topo do Walkie Talkie, edifício londrino que ficou famoso no mundo por, pasmem, derreter carros ao refletir a luz do sol. É um complexo de vários restaurantes – clique para conferir no site – e onde você pode apenas optar por um walking tour para apreciar a vista. É importante fazer reserva pelo site.

(2) Tower Of London

Em seguida vá em direção a Tower Of London. Se quiser entre para ver as jóias da Coroa Inglesa. Lá estão guardados cetros, coroas, jóias e tudo mais de valor que pertence a realeza. Não é permitido fotos ou filmagens e o ingresso custa 28 euros (preço de Nov/2017).

(3) Tower Bridge

Na sequência cruze a Tower Bridge, a ponte mais famosa e um dos símbolos de Londres. Ela foi construída em 1894 de forma que se abrisse para a passagem dos barcos. É possível visitar as passarelas superiores da ponte, onde existe um pequeno museu com exposições que contam a história da mesma.

(4) London City Hall

Desça até a London City Hall, a prefeitura de Londres. Um edifício em forma de capacete que chama a atenção de longe. Dali é possível um lindo enquadramento para suas fotos com a Tower Bridge de fundo.

(5) Borough Market

Caminhe pelas margens do Rio Tâmisa até chegar ao Borough Market, o mercado gastrônomico mais famoso e tradicional de Londres. Inaugurado em 1851, o local segue oferecendo produtos de produção local, além de comidas típicas de vários cantos do mundo.

(6) Shakespeare Globe

Siga em direção ao Shakespeare Globe, uma reprodução fiel do teatro onde eram interpretadas as obras mais famosas de Shakespeare.

(7) Millenium Bridge

Vá até a Milleniun Bridge, ponte inaugurada em 2000 para celebrar a passagem do milênio. Ela é toda em aço e tem um design muito moderno, sendo cenário de muitos filmes. Ela liga o Tate Modern Art Gallery à St Paul’s Cathedral através do Rio Tâmisa. Aliás, vale a pena atravessá-la e dar uma passadinha em frente a igreja onde casaram-se a princesa Diana e o príncipe Charles – e dependendo do seu interesse – entre também no Tate Modern. É gratuito e lá dentro existe um mundo voltado à arte moderna com exposições de obras importantíssimas como de Picasso e Salvador Dalí.

(8) London Eye

Chegou a hora de conhecer a London Eye. Siga caminhando pelo South Bank até a roda gigante inaugurada em 1999. Uma volta completa no brinquedo de 135 metros de altura dura em torno de 30 minutos e os ingressos podem ser comprados na hora.

(9) Palácio de Westminster (Big Ben)

Atravesse outra famosa ponte de Londres, a Westminster Bridge, em direção ao Palácio de Westminster, onde estão as duas Câmaras do Parlamento Inglês e também a famosa torre do Big Ben, sino instalado no prédio durante a gestão de Sir Benjamin Hall.

(10) Abadia de Westminster

Inaugurada no ano de 960, a Abadia de Westminster é sede oficial da coroação do monarca inglês desde 1066. Ali casaram-se o príncipe William e Kate Middleton. Ali também estão sepultados Charles Darwin, Isaac Newton e o astrofísico britânico Stephen Hawking.

(11) Palácio de Buckingham

Por fim, conheça a construção do Palácio de Buckingham, residência oficial do monarca inglês desde a época da Rainha Victoria. É possível fazer visitas. Informe-se pelo site.

(12) Picadilly Circus

Termine a noite na agitada Picadilly Circus ou jante em um dos restaurantes de Covent Garden. (ver post dos restaurantes)

Dicas de restaurantes em Paris

Descobrir cantinhos encantadores de Paris é ainda mais gostoso quando se tem a opção incluir no roteiro bons restaurantes, cafés e brasseries. Os sabores franceses são inconfundíveis. Os melhores pães, queijos e vinhos estão por lá, mas não necessariamente nos lugares mais caros. Veja alguns dos espaços mais tradicionais de Paris para comer e beber bem por um preço acessível.

Continuar lendo Dicas de restaurantes em Paris