Como planejar uma viagem passo a passo

Como você se vira para planejar uma viagem incrível? Não importa se você prefere drinks e coquetéis à beira mar ou vinhos naquele friozinho gostoso, para sua viagem ser aproveitada da melhor maneira possível, você precisa antes planejar bem sua viagem com um bom roteiro. É trabalhoso, mas pode ser muito prazeroso também. Afinal, será mais um sonho realizado!

E nesse momento crucial de planejar a viagem aí vão algumas dicas imprescindíveis:

1 – Seja um detetive

Pesquise ao máximo o seu destino. Nesta parte vale tudo: revistas, artigos de viagem, livros, wikipédia, vídeos do canal da Emilim no Youtube. Rá! 😀 É neste momento que você vai descobrir coisas valiosas do lugar, cantinhos especiais, pontos não tão turísticos. Veja com o que você se identifica e liste tudo o que interessa a você, sem medo de ser feliz.

2 – Organize por regiões

Esta é uma parte importante para otimizar seus passeios. Depois da lista de desejos pronta, olhe no Google Maps onde fica cada lugar. Concentre os pontos próximos para visitar aquela região no mesmo dia. O que ficar completamente fora de mão, talvez seja melhor deixar para uma próxima vez.

3 – Divida o seu dia

Para você ter mais noção do seu tempo, divida o seu dia em períodos: manhã, tarde e noite. Monte uma tabela e insira os pontos que deseja visitar em tal dia. Faça uma outra lista com endereços para você utilizar durante a viagem no momento que estiver indo conhecer o lugar.

4 – Horários de funcionamento e reservas

Depois de tanta organização, não permita se frustrar e perder eventos por não se ater aos horários e dias de funcionamento. É um detalhe que faz toda a diferença! Após a compra das entradas para teatros e atrações, insira os compromissos agendados na tabela. Ah, e se tem aquele restaurante delicioso que deseja conhecer, já o garanta com uma reserva. A maioria oferece esta opção pelo próprio site.

5 – Roteiro flexível

Esta talvez seja a dica mais importante: o roteiro não é para ser seguido à risca. Ele vai facilitar a sua vida, mas se estiver em um lugar apaixonante e super agradável, não vai sair correndo porque precisa completar a lista do dia. Tirando o que você comprou com horário marcado, tudo é flexível. Aproveite, viva aquele momento, sinta o lugar na sua essência. É essa sensação prazerosa que vai marcar sua memória! É para isso que viajamos!

O que fazer na Toscana – Siena, Greve in Chianti e Montalcino

O roteiro de hoje vai nos levar a Siena, Greve in Chianti, Montalcino e várias outras cidadezinhas e vinhedos da Toscana. Vou revelar valores e dicas sobre as principais atrações.

Nessa série de textos e vídeos com nossos roteiros pela Itália, já publicamos Roma, Florença, Pisa e Luca.  No final do texto vou deixar o link dos vídeos.

  • DIA 1

Partiremos de Florença, onde já alugamos um carro. Aliás, sempre me perguntam onde alugamos carros para nossas viagens e a resposta é: Rentcars, que é um dos maiores sites de comparação de preços e locação de veículos pelo mundo. São mais de 160 países. O legal é que eles sempre te cobram em reais, sem iof, parcelam em até 12 vezes e ainda dão desconto se você pagar à vista.

Já com o carro vamos pegar a Chiantigiana, um verdadeiro cartão postal da Toscana. É também conhecida como Rota SR222, que liga Florença a Siena. É por ela que você vai ver os campos verdinhos e muitos parreirais e entrando em estradas secundárias, você terá a oportunidade de conhecer inúmeras vinícolas.

A nossa primeira parada será no território de Greve in Chianti, região famosíssima pelo Chianti Clássico, um dos vinhos mais conhecidos e apreciados em todo o mundo.

Nessa região tem vários vilarejos e cidadezinhas medievais, como Montefioralli, considerado um dos borgos medievais mais lindos da Itália. Borgo significa um pequeno centro habitado. Aliás, hoje em dia tem menos de cem habitantes e um dos antigos moradores foi Américo Vespucio, aquele mesmo que deu o nome ao continente americano. Essa cidadezinha teria pertencido à família de Monalisa, pintada por Leonardo da Vinci.

E por falar em Da Vinci, vamos em seguida para Vignamaggio, uma vila do século XIV, onde você pode se hospedar e dizem que do terraço do prédio você conseguiria avistar a paisagem de vinhedos e colinas que compõem o quadro de Monalisa, já que foi ali onde a menina teria morado com a família e Da Vinci se inspirado para a sua principal obra de arte.

Dali seguiremos a Panzano, outra cidadezinha medieval que parece cenário de filme. Lá tem a tradicional e famosíssima Antica Macelleria Cecchini, uma casa de carnes que já recebeu encomendas de Elton John.

Nossa viagem continua até Montalcino, cidade do famosíssimo vinho Brunelo. Até queríamos fazer uma visita à vinícola Biondi Santi, criadora do Brunello, mas enviei email a eles e a resposta foi que desde Janeiro de 2018 eles estão fechados ao público e recebem apenas parceiros do comércio de vinho, ou seja, vamos degustar o brunello di Montalcino em algum espaço ali pelo centrinho da cidade mesmo.

Lembrando que, nessas cidadezinhas existe restrição para circular com o carro nos centros históricos, então é sempre importante ficar atento a ZTL – zona de tráfego limitado, para não se incomodar e ser multado.

Isso também vale para Siena, local que escolhemos para dormir. Vamos nos hospedar no NH Hotel, que fica bem localizado, perto dos principais pontos turísticos da cidade. Como chegaremos à noite, devemos jantar e cair na cama.

  • DIA 2

No outro dia acordaremos cedo e vamos desbravar Siena. Começaremos pela Basílica de São Domingos, onde tem a cabeça e um dedo mumificados de Santa Catarina.

Em seguida, vamos passar pela Via Bianchi di Sopra, uma das vias mais movimentadas de Siena e que dá acesso a Piazza del Campo, que sempre foi o coração da cidade e que desde a idade média recebe o Palio de Siena, corrida de cavalos que ocorre duas vezes ao ano: 2 de julho e 16 de agosto. É o maior evento da cidade.

É ali que fica o Palazzo Publicco ou Palazzo Comunale e a sua famosa Torre del Mangia. Foi construído no século XIII, sendo o primeiro prédio a surgir na praça.

Depois disso conheceremos enfim o Duomo di DSena ou Catedral de Santa Maria Assunta, outra construção magnifíca, considerada uma das mais imponentes da Itália com esculturas de Michelangelo e Donatelo e que iremos mostrar em detalhes no vlog da viagem a Siena. O ingresso para visitá-la custa 17 euros. Clique aqui para comprar.

Se você quiser um tour guiado a pé por Siena, também existe essa opção comprando o bilhete online. Custa 15 euros e tem duração de 2 horas. Nesse tour você vai passar pelos principais pontos turísticos de Siena a pé e receber muitas explicações sobre a história da cidade. Clique aqui para comprar.

E é isso, gente!  Depois da Toscana, hora de conhecer Milão. Voltaremos à Florença, onde devolveremos o carro e então vamos pegar um trem com destino à capital italiana da moda, mas esse roteiro só no próximo post.

Precisando de Seguro Viagem? Faça um orçamento sem compromisso com meu amigo Rodrigo Gomes da RGomes Corretora e ganhe 10% de desconto. Acesse o site ou mande um whatsapp no telefone  (47) 99198-6618

Para chip de internet ilimitada compre pela EasySim4U. É o mais barato do mercado e eu assino embaixo na qualidade.

Se gostou do post dê o seu like e deixe um depoimento pra gente. Vamos adorar! Outro lugar para gente interagir bastante é nas redes sociais. Nos siga no Instagram. O meu é @EmilimSchmitz e o do maridón é @LuizFernandoDiniz.

Ah, e já ia me esquecendo: clique nos destinos para ir direto ao vídeo dos roteiros de cada um: Roma, Florença, Pisa e Luca e Toscana.

Um beijo e até o próximo post!

Roteiro de um dia por Pisa e Lucca na Itália

Nesse texto você vai conferir nosso roteiro por Pisa, a cidade de Galileu e Lucca, a cidade das Cem Igrejas. Um bate-volta partindo de florença.

Estamos fazendo uma série de textos e vídeos sobre nosso roteiro pela Itália. Já liberamos o roteiro de Roma, (confira o vídeo aqui e o texto aqui) e Florença (confira o vídeo aqui e o texto aqui)

Na nossa viagem pela Toscana decidimos conhecer em um único dia Pisa e Lucca. São cidades pequenas, mas nem por isso menos encantadoras. A nossa base é Florença e de trem da capital até pisa, são 1h15 de viagem.

Os trens da Trenitália saem de hora em hora da Estação Santa Maria Novella e o bilhete com hora marcada custa em torno de 8 euros comprando antecipadamente pelo site. Nós deixaremos para comprar lá, porque como é trem regional não tem necessidade de comprar com antecedência, já que não tem cadeiras marcadas e nem a possibilidade de lotar o trem.

PISA

Existem duas estações em pisa: a San Rossore, mais próxima a Torre de Pisa e a estação Pisa Centrale. Optamos pela Pisa Centrale, porque descendo lá, já conheceremos o centro da cidade até chegar na Torre de Pisa e depois utilizaremos a San Rossore, mais próxima, para seguir viagem até Lucca.

Vamos subir pela Corso Italia, a principal rua comercial de Pisa, super movimentada, repleta de restaurantes e lojas. Chegaremos na Piazza Dei Cavalieri, onde tem o Palazzo Della Carovana, construção do século XVI e antigo quartel da Ordem dos Cavaleiros de Santo Estevão, e o Palazzo Dell’Orologio, que foi citado na Divina Comédia de Dante Alighieri.

Em seguida, partiremos para conhecer a famosa Piazza Dei Miracole, onde estão a Torre de Pisa, o Duomo, o Camposanto e o Batistério, principais e mais visitadas construções da cidade.

Além de tirar aquela foto suuuper criativa lá embaixo, se você quiser subir na Torre, o ingresso fura fila custa 24 euros, é com hora marcada e o link para compra vou deixar AQUI

Esse ingresso também dá direito a entrar na Catedral sem fila. Mas se você quiser entrar apenas na Catedral, não precisa pagar nada, você apenas terá que retirar o passe gratuito na bilheteria da igreja.

Esse será nosso passeio por Pisa. Claro, que no vlog, mostraremos tudo em detalhes para vocês, inclusive as descobertas e surpresas que sempre aparecem em cada viagem.

Depois disso pegaremos um trem da Estação San Rossore até Lucca.

LUCCA

O trem regional sai de meia em meia hora e o ingresso custa cerca de 4 euros. A viagem direta até Lucca demora uns 30 minutinhos.

Chegaremos em Lucca no início da tarde e o primeiro local que veremos será a Muralha de mais de 400 anos que circunda toda a cidade. entraremos pela porta de san pietro./ dos seis acessos, a porta de sao pedro é a mais impressionante e elaborada e é também a mais próxima da estação de trem da cidade.

O apelido de Lucca é a cidade das cem igrejas, de tantas construções religiosas que existem por lá. Então, é claro, veremos muitas igrejas, a começar pelo Duomo Di San Martino, ou a Catedral de Lucca, que tem guardado lá dentro um crucifixo de madeira com a imagem de Cristo, que teria sido esculpido por um dos primeiros seguidores de Jesus.

Caminhando um pouco mais, chegaremos a Chiesa Di San Giovanni e Reparata, construída no século IV como uma Catedral de Lucca.

Outra igreja que vamos conhecer será a San Michelle in Foro, uma enorme basílica construída sobre um Fórum Romano, bem no centro de Lucca. No alto, a escultura de São Miguel derrotando um dragão.

Dali vamos subir a Via Fillungo, a rua mais movimentada de Lucca, repleta de bares, cafés e lojinhas e vamos até a Piazza Della Anfiteatro, que como o nome já diz, era um anfiteatro tipo o Coliseu, só que claro, bem menor.

E para finalizar nosso roteiro em Lucca, subiremos na Torre Guinigi, de onde se tem a vista mais incrível da cidade. É a única torre da época renascentista que ainda resisti em Lucca. Lá em cima tem um jardim. É muito lindo mesmo. O ingresso custa 4 euros e você pode comprar no local.

Esse é o nosso roteiro de um dia para Pisa e Lucca, mas existe também um opção de tour guiado para essas duas cidades, saindo de Florença. Custa 58 euros. A companhia te pega no hotel, você não se preocupa com o transporte, nem roteiro e ainda vai recebendo muitas explicações pelo caminho. Clique aqui para comprar o passeio. 

Lembrando que ainda vamos conhecer mais um pouco da Toscana com direito a Siena e muitos vinhedos, inclusive Montalcino e depois seguiremos para Milão, Verona e Veneza. Os roteiros, claro, vamos dividir com vocês atendendo aos muitos pedidos sempre.

Para conferir o vídeo do roteiro de Pisa e Lucca, com imagens dos locais que visitaremos, é só clicar aqui.

Aliás, se tiver alguma dica da Itália, escreva aqui embaixo, vamos adorar saber, com a chance de incluir no roteiro aquelas mensagens que vierem antes de 10 de Agosto de 2018.

Um beijão e até o próximo roteiro, que será sobre Siena, Montalcino e várias outras regiões lindas da Toscana.

Roteiro de 4 dias em Roma na Itália

Oi, oi, oi gente linda!

Vocês me perguntam muuuito sobre como organizo meus roteiros, então quero aproveitar nossa viagem a Itália para liberar o roteiro detalhado de tudo o que vamos fazer por lá.

As cidades escolhidas são Roma, Florença e outras cidades da Toscana, Milão e Veneza.

A nossa primeira parada será Roma, onde teremos 4 dias para aproveitar.

DIA 1

Vamos sair de São Paulo à noite e chegar em Roma por volta do meio-dia. Serão 12 horas de viagem, lembrando que são 5 horas de diferença a mais em relação ao Brasil.

Até chegar, passar pela Imigração, pegar as malas e tudo mais devemos chegar ao hotel perto das 4h da tarde.

Do Aeroporto Leonardo da Vinci, também conhecido como Fiumicino, a 30km de Roma, você tem várias opções para chegar ao centro histórico. Trem, transfer, ônibus ou taxi. 
Trem

Tem o trem expresso, Leonardo Express, super pontual e que leva 30 minutos até a Estação Central Roma Termini.

E o trem regional, que pode levar até 50 minutos, você precisa fazer baldeação, vive lotado e constantemente sofre com atrasos.

A diferença, claro, também está no preço: o expresso custa 14 euros, o regional 8 euros.

O bilhete pode ser comprado online, pelo site oficial da Trenitalia, que é a companhia que vamos usar em toda a viagem, ou então direto no guichê da cia no próprio aeroporto.

O problema de comprar online é que precisa ser com hora marcada e em se tratando de vôos internacionais, nunca sabemos se vai atrasar ou não. Então, acho mais seguro comprar no local mesmo.
Ônibus

É o meio mais barato. Varia de 5 a 6 euros, dependendo da operadora.

A TAM, que não é a mesma que a nossa, eu sei que você pode comprar o bilhete online. E mesmo que tenha horário definido, você chega e pega o primeiro ônibus que sair. Mais informações você consegue no site. A viagem dura cerca de uma hora.

Transfer

Vai do aeroporto até a porta do seu hotel. Pode ser transfer particular (preço vai de 45 a 80 euros por grupo) ou o transfer compartilhado (preço médio de 16 euros por pessoa). É só clicar nas opções desejadas que você já vai direto pro site do GetYourGuide, que é onde faço minhas compras antecipadas para reserva de transporte, entradas em atrações e passeios guiados. 

Táxi

O valor da corrida até o centro de Roma – dentro dos Muros Aurelianos – começa em 45 euros e vai aumentando dependendo do número de malas e pessoas. 

 

E chegou a hora de falar da hospedagem.

Nós optamos pelo centro histórico, para ficar mais próximo das atrações turísticas. É um pouco mais caro, mas vale a comodidade.

Vamos ficar no Hotel Damaso, indicação de um amigo do Luiz, que gostou muito de tudo: café da manhã, limpeza, atendimento e localização – fica a 3 minutos a pé da Piazza Navona.

E dia de chegada é dia de conhecer os arredores do hotel, ficar mais light, flanar pela cidade… e é isso que vamos fazer nesse dia.

Vamos começar pela Piazza Navona, Piazza Della Rotonda, Panteon e vamos ir até a Fontana di Trevi para vê-la à noite. Mas como sabemos que vive lotaaaada, antes de ir embora de Roma pretendemos acordar cedinho um dia e correr pra lá de novo. Só assim pra pegá-la vazia.

Aí pra terminar a noite vamos escolher um restaurante, já vi vários bem legais ali perto, comer e voltar capotar no hotel.

DIA 2

Vamos direto ao Coliseu, mas antes, como é caminho, vamos conhecer o Altare Della Patria, monumento em homenagem a Vittorio Emanuel, primeiro Rei da Itália e considerado o Pai da Pátria. E também passar ao lado no Monte Capitolino, uma das sete colinas da cidade, onde Roma começou a ser construída e onde moravam os imperadores.

Mas vamos bem cedinho, porque às 8h30 abrem-se as portas do Coliseu.

E uma informação importante:  o ingresso do Coliseu vale também para o Monte Palatino e Fórum Romano.

O bilhete é válido por dois dias a partir do primeiro uso.

Você pode comprar os bilhetes pela internet, evitando filas. Custa 16 euros – 12 do bilhete, mais 4 da reserva.

Nós compramos do site do Rome Museum, que tem tradução em português. O comprovante vem no seu email, é só imprimir e apresentar lá na entrada sem pegar a enorme fila para comprar no local.

Com esse ingresso você terá direito a visitar a arena, no segundo anel, mais a exposição permanente no primeiro piso.

Mas você também pode encontrar bilhetes no site do GetYourGuide, inclusive com a opção de visita guiada. Os preços mudam, claro.

Uma dica preciosa é começar pelo final, ou seja, ao invés de já entrar no Coliseu, ponto de partida pensado pela maioria dos turistas, comece pelo Fórum Romano. A fila no Coliseu é o dia inteiro, mas pelo menos começando pelo final, você pode conseguir um pouco mais de tranquilidade em parte da visita.

O Coliseu abre todos os dias das 8h30 até uma hora antes do pôr do sol, ou seja, de Novembro a Março até 15h30 e de Abril a Outubro até 17h30.

Pesquise também sobre o Roma Pass e veja se vale a pena para você. Existe o Roma Pass 72h, que te dá direito a duas atrações gratuitas e o Roma Pass 48h, que te dá direito a uma atração gratuita. Com o cartão você usa o transporte público de Roma de forma ilimitada, menos o trajeto até o aeroporto.

Bom, no segundo dia será isso O que já é muita coisa, porque nessa região tem muito para ser visto. E atenção! Nesses monumentos, não há lanchonetes. Portanto, leve um lanchinho e garrafa de água, que poderá ser reabastecida nas fontes do Palatino.

DIA 3

Vamos ao vaticano!

Detalhes importantes: quer ver o Papa, reserve domingo ou quarta-feira, quando ele faz a Audiência Papal na Praça de São Pedro. Mas vá preparado, porque tudo lota e lota muito.

Aliás, para evitar a multidão chegue cedo, muito cedo.

Se tiver mais dias em Roma, uma dica que pode valer a pena é dividir a visita ao Vaticano em dois dias. Assim, chegando cedo,  num dia você pega Basílica e Praça de São Pedro vazias e no outro os Museus e Capela Sistina também vazios.

Nós vamos fazer tudo no mesmo dia. Aliás já compramos nossos ingressos para os Museus e Capela Sistina para o início da tarde. Dica importante: comprando seu ingresso antecipadamente (pelo site oficial é mais barato) você fura fila para Museus e Capela Sistina. O ingresso é um só.

Cada ingresso custa 17 euros + 4 euros pela conveniência do online. O voucher vem no seu email. Você escolhe o mês, quantidade de pessoas, dia e horário. Ingressos individuais e intransferíveis. No dia é só passar a fila toda e ir direto para a entrada no seu horário.

Aliás, outra dica importante: compre com pelo menos dois meses de antecedência para não correr o risco de não encontrar dia e hora que você planejava. Nós deixamos para comprar em cima da hora e tivemos que adaptar o roteiro, porque não tinha mais a data que queríamos.

Não é permitida a entrada com decotes, ombros e joelhos de fora. Vale para homens e mulheres.

O Vaticano abre de segunda-feira a domingo, das 07h até o pôr do sol.

Na volta do Vaticano vamos para o Castelo Sant’Angelo, construído no ano de 139  pelo Imperador Adriano, e claro encontrar aquele restaurante bacana para terminar à noite.

DIA 4

Esse é mais um dia de acordar suuuuper cedo para pegar a Fontana di Trevi vazia. Às 6h da manhã já estaremos lá. Exagero? Não sei!

Depois é hora de conhecer a Piazza di Spagna, uma das mais concorridas de Roma e Piazza del Popollo, uma das maiores praças do centro histórico.

Em seguida tem a Villa Borghese, Palácio no Monte Pinciano ou Pincio, dentro do segundo maior parque de Roma, os Jardins da Villa Borghese. No interior do palácio está a Galleria Borghese, um museu com obras de Caravaggio, Bernini, Botticelli e outros.

O ingresso custa 22 euros no site do GetYourGuide, mas deve ser comprado com bastante antecedência. A galleria é fechada às segundas-feiras, assim como a maioria dos museus de Roma, menos o coliseu.

Queremos ainda conhecer as Termas de Caracalla, que era um dos maiores complexos de banhos públicos de Roma e segue muito bem conservado.

E acabou, gente!

Veja também o post do roteiro em Florença, que será a próxima parada.

Lembrando que depois de Agosto de 2018 tudo estará registrado nos vlogs da Itália, então não deixe de acompanhar como foi a nossa experiência lá no canal do YouTube.

Você também já pode acompanhar em tempo real todas as nossas postagens e dicas pelo Instagram, tanto no MEU quanto no do LUIZ

Espero que tenha curtido a postagem e se quiser deixar mais sugestões de postagens é só escrever nos comentários.

Ah, uma última dica super importante: em todas as minhas viagens eu uso o chip de internet ilimitada da EASYSIM4U. E não será diferente na Itália. Amo demais e super recomendo. Se vai viajar e quiser o seu também é só clicar aqui.

Roteiro para Sydney em um dia

Sydney é a cidade mais populosa da Austrália com mais de 5 milhões de habitantes. Muito úmida e extremamente quente no verão, prepare-se para suar com temperaturas por volta dos 30 graus. Nesse roteiro de um dia você fará uma longa caminhada, mas conhecerá muitos pontos lindos de Sydney. Veja o roteiro! Continuar lendo Roteiro para Sydney em um dia